Não posso mudar o passado.

Vejo no reflexo dos olhares de quem me rodeia, a decepção. Vejo o quanto sonharam pra que eu fosse alguém. Alguém que não fui. Alguém que não sou. Chego a sentir aquele nó na garganta e antes que as lágrimas escorram, volto ao foco do que um dia serei. Todas as manhãs me lembro que... Continue lendo →

Sim, sou eu.

Arranco as peles da boca quando estou ansiosa e também quando estou pensando. Sou a verdadeira virginiana quando se trata de perfeccionismo e organização. Gosto de lavar o cabelo a cada dois dias e depilar duas vezes no mês. Sou apaixonada por esmaltes e se você não elogiar, trocarei a cor todas as noites. Gosto... Continue lendo →

Estou chegando ao fim.

São dias cinzentos. Nebulosos, tímidos e mau humorados. Dias em que meu cobertor prende meu corpo junto à cama, evitando que eu levante e me depare com a rotina de sempre. Procuro vestígios de qualquer novidade que possa ter surgido, capaz de me dar ânimo para começar o dia. Mas não há nada. Não há... Continue lendo →

resumo da alegria.

Um abraço reduziria a dor de não ser quem gostariam que eu fosse. Um abraço conseguiria afastar a solidão e trazer um sorriso para a primeira piada sem graça que você contaria. Um abraço seu, afagaria minha alma. Traria a esperança de um dia ser para o mundo, quem sou de frente ao espelho. Tiraria... Continue lendo →

A verdade

A verdade é que não consigo escrever aqui sobre algo que não vivo. Os textos nebulosos refletem meu mau humor e solidão. Pode ser só uma fase, e eu costumo aproveitar cada uma delas. Mas já me cansei desta. Gosto de ficar sozinha, mas odeio me sentir sozinha. A solidão, quando chega, é até uma... Continue lendo →

diário de 5 minutos.

Sinto falta dos amigos que fiz pelas cidades que se passaram. De quem eles eram naquela época. O tempo passa e por mais que dizemos acreditar que nada mudou, ele sempre leva consigo um pouco da intimidade, da confiança, do amor e da amizade. Sinto falta de ter amigos. Os dias dentro de casa, sem... Continue lendo →

Uma maré de finitos.

Hoje, escrevo para mim. Na verdade como na maioria das vezes. Hoje eu disse a Deus que gostaria de morrer. Não porque eu estou realmente querendo morrer ou porque eu goste de ver o sofrimento das pessoas, mas porque há um lado sombrio, eu diria, em mim. Parece que há sempre uma tragédia a espreita.... Continue lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: